Conecte-se Conosco

Policial

PM flagra homem espancando mulher na rua

As agressões aconteceram no bairro Amabai, em Campo Grande

It News MS

Publicado

 em

Imagem Ilustrativa

Um homem de 27 anos foi preso em flagrante na noite desta terça-feira (27) após agredir com socos, chutes e puxões de cabelo uma jovem de 21 anos. A violência foi no bairro Amabai, em Campo Grande. O enteado dela, de 8 anos, presenciou tudo.

Os policiais foram chamados para atender a ocorrência, e ao chegarem no local flagraram o autor agredindo a vítima. O agressor foi levado para a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher.

A vítima disse que mantém um relacionamento com o agressor há cerca de dois meses. Ontem, eles estavam bebendo, quando “do nada”, o autor passou a agredi-la e ainda fez ameaças de morte, “vou colocar fogo na sua casa e vou matar você”.

A jovem ficou com ferimentos nas nádegas, braços, pernas e rosto.

Denuncie!

A Casa da Mulher Brasileira está localizada na rua Brasília, s/nº, no Jardim Imá e funciona 24 horas por dia, inclusive aos fins de semana. Ela serve de amparo para que as mulheres que são vítimas de violência, não fiquem sozinhas, mesmo em tempos de pandemia.

Lá na Casa da Mulher Brasileira, existe uma Delegacia Especializada; a Defensoria Pública; o Ministério Público; a Vara Judicial de Medidas Protetivas; atendimento social e psicológico; alojamento; espaço de cuidado das crianças – brinquedoteca; Patrulha Maria da Penha e Guarda Municipal. É possível ligar para 153.

Existem ainda dois números para contato: 180, que garante o anonimato de quem liga, e o 190. Importante lembrar que a Central de Atendimento à Mulher – 180 -, é um canal de atendimento telefônico, com foco no acolhimento, na orientação e no encaminhamento para os diversos serviços da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres em todo o Brasil, mas não serve para emergências.

As ligações para o número 180 podem ser feitas por telefone móvel ou fixo, particular ou público. O serviço funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, inclusive durante os finais de semana e feriados, já que a violência contra a mulher no Brasil é um problema sério no país.

Clique para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Enquete

Facebook

Publicidade