Conecte-se Conosco

Campo Grande

Pandemia tem quadro de estabilidade em patamar alto de casos e mortes, diz secretário de Saúde de MS

Com os dados desta sexta, a média móvel nos últimos 7 dias de casos está em 1.112 e a de mortes em 47,1 por dia.

It News MS

Publicado

 em

Reprodução

O estado de Mato Grosso do Sul confirmou 1.062 casos novos e mais 44 mortes por Covid-19. Nesta sexta-feira (16), são 235.010 infectados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia e o número de óbitos é de 5.099.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, o estado tem um quadro de estabilidade da doença em um patamar alto de casos e mortes. Esses dados são até a data desta sexta-feira.

Com isso, a média móvel nos últimos sete dias de casos está em 1.112 e a de mortes em 47,1 por dia.

O secretário ainda disse que a quantidade de óbitos confirmados de domingo, dia 11, até está sexta-feira, dia 16, 268, indicam que o estado deverá fechar a semana com um número de mortes menor do que na semana passada, quando o total de vidas perdidas para a doença chegou a 397.

Outros dados que reforçam a avaliação de estabilização da pandemia, conforme o secretário, são uma redução da taxa de contágio da doença, que chegou a atingir 1,12 e caiu para 1,09 e ainda o número de pessoas que estão internadas por causa da Covid-19.

O total de hospitalizados é de 1.169, sendo que 639 estão em leitos clínicos e 533 em unidades de terapia intensiva (UTIs). A taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid-19 está em 98,9%.

Para tentar amenizar a superlotação de hospitais, o secretário antecipou que trabalha para implantar mais 10 leitos de UTI em Campo Grande e mais 10 em Dourados na próxima semana.

Em relação ao novo lote de vacinas que o estado recebeu nesta quinta-feira (15), 77,9 mil doses, Resende disse que as 31,4 mil da Coronavac foram remetidas aos municípios com a orientação de que sejam usadas para a aplicação da segunda dose.

O restante, 46,5 mil da AstraZeneca, ele disse que deverão ser destinados a imunização em primeira dose, sendo que a prioridade repassada aos municípios é concluir a vacinação de pessoas com mais de 60 anos. Se concluído esse grupo, disse que as prefeituras poderão ampliar para quem tem mais de 55 anos e possua comorbidades.

Lembrou ainda, que cerca de 25% das doses da AstraZeneca foram destinadas ainda para a conclusão da vacinação do grupo das forças de segurança pública e também das Forças Armadas.

Clique para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Enquete

Facebook

Publicidade