Conecte-se Conosco

Cidades

No Dia do Jornalista, Azambuja defende inclusão da classe no grupo prioritário para vacinação

Para que a inclusão aconteça, é necessário a aprovação do Ministério da Saúde, como foi o caso do vacinação para os trabalhadores da segurança pública

It News MS

Publicado

 em

Vinicius Bracht

Na manhã desta quarta-feira (7), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) defendeu a inclusão dos profissionais da comunicação como grupo prioritário para vacinação contra a Covid-19. A questão também foi lembrada pelo Senado e pela Câmara Municipal de Campo Grande.

Essa declaração foi dada no dia que é celebrado o Dia do Jornalista, em memória da atuação de Líbero Badaró na consolidação da Independência do Brasil e na luta pela liberdade de imprensa.

Para que a inclusão aconteça, é necessário a aprovação do Ministério da Saúde, como foi o caso do vacinação para os trabalhadores da segurança pública.

Eu sou defensor de que o jornalista deva entrar como prioritário, até pelo trabalho e a dinâmica. Está sendo feito em uma consulta junto ao Ministério da Saúde e a gente espera poder validar colocando os jornalistas nesse grupo também“, disse Azambuja. Ele ressaltou ainda que o secretário Estadual de Saúde, Geraldo Resende, e o prefeito da Capital, Marcos Trad (PSD), também simpatizam com a proposta.

Os profissionais da comunicação também foram lembrados pelo senador Nelson Trad (PSD/MS) que citou dados da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) no plenário. “Brasil já é o segundo país depois do Peru com mais óbitos de jornalistas por causa da Covid-19. Quero encaminhar ao Ministério da Saúde que os insira na lista de prioridade do Plano Nacional de Vacinação daqueles que ficam na linha de frente das coberturas“.

O senador citou radialistas; jornalistas; repórteres de campo; editores de texto, imagem e som; fotógrafos; cinegrafistas; chefes de redação; operadores de imagem e de som; “e todos que tenham contado diário com a cobertura da pandemia. Confesso que me sensibilizei e fiz a indicação no sentido de estimular o Ministério da Saúde para que possa incluir na linha de frente de prioridade, para entrar na fila mais rápido”.

Nesta terça-feira (6), a Câmara Municipal também solicitou a inclusão da categoria na campanha de imunização municipal. O pedido leva em conta o Decreto nº 10.288/20, que define as atividades e os serviços relacionados à imprensa como essenciais. Na Capital, são mais de 500 profissionais.

Em Mato Grosso do Sul, o jornalismo já perdeu nomes como Denilson Pinto, Hermano de Melo, Guilherme Filho e Valdenir Rezende, que trabalhou por toda sua vida no jornal.

Clique para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Enquete

Facebook

Publicidade