Ao ver a repercussão, a Globo se manifestou sobre o assunto. Em nota enviada à coluna de Leo Dias, do Metrópoles, a emissora disse: “Maria Julia Coutinho quis dizer ontem que, por mais amargas que sejam, as medidas de isolamento social são necessárias. Sobre a dor daqueles que precisam manter seus negócios fechados, assunto abordado no Jornal Hoje desta quarta-feira, Maria Julia Coutinho disse ao final da reportagem: ‘Desejo também agilidade do governo e do Congresso para atender os empresários e também as famílias que estão aguardando auxílio emergencial”.

Desculpas de Maju

Na edição de ontem (18), a jornalista disse que faltou complemento em sua fala quando disse “o choro é livre” a respeito da necessidade de lockdown no momento mais severo da pandemia da covid-19 no Brasil.

“Ontem, para reforçar a necessidade do isolamento social, eu usei no improviso uma expressão infeliz que precisa de um complemento para deixar bem claro o que queria dizer”, afirmou. “Eu reitero hoje aqui esse desejo, me desculpo pela expressão que usei anteontem e vemos nessa, bola pra frente.”

Maju explicou que as medidas restritivas adotadas para tentar conter a escalada de casos e mortes por coronavírus são necessárias, ainda que afetem pequenos e médios empresários.

“Eu quis dizer que por mais que sejam amargas as medidas de isolamento, são necessárias para evitar o colapso do sistema de saúde, mas eu também entendo perfeitamente a dor dos pequenos e médios empresários que têm que manter os negócios fechados”, reforçou.