Conecte-se Conosco

Coluna Neil Brasil

Lilian Roncone Silva: Empresária investe nos vinhos e espumantes nacionais e conquista os campo-grandenses

A enófila apostou nos rótulos brasileiros de edição limitada, inovou com a chopeira de Espumante e Spritz Aperol e faz degustações guiadas

It News MS

Publicado

 em

Fotos: Kleber Pereira - NK Fotografia

A VAI DI VINHO, especializada em espumantes e vinhos nacionais, inaugurada em dezembro na Capital, fez com que os amantes de um bom vinho tivessem outra visão da produção vitivinícola do país, com seus melhores rótulos. A casa conquistou de pronto os apreciadores e a empresária, Lilian Roncone Silva, 44, vem movimentando a cidade com suas confrarias e eventos, onde os convidados se entregam às experimentações e descobertas. Em março, aconteceu a 2ª edição do – A arte de degustar vinhos – com harmonização gastronômica, numa noite de experiências gustativas na Euclides da Cunha.

Com a VAI Di VINHO, a enófila Lilian, que possui especializações internacionais de sommelier e vários cursos no Brasil, rompeu o preconceito e o desconhecimento sobre a evolução dos espumantes e vinhos brasileiros e virou referência dos melhores marcas em Campo Grande/MS. São 400 rótulos nacionais feitos em pequena escala, com garrafas numeradas, conhecidos como ‘vinhos de boutique’, muitos premiados no Brasil e no exterior.

A empresária surpreendeu pela qualidade dos vinhos nacionais, oportunizando a descoberta de que não deixam nada a desejar aos melhores italianos, californianos e franceses. Lilian também inovou trazendo para Campo Grande a ‘chopeira’ de espumantes e Aperol, que já sendo disputada para festas, especialmente casamentos e aniversários. Além disso, trouxe a exclusividade do Spina Wines Spritz-Premium Drink, um Aperol em latinha.

“A aceitação da proposta da VAI DI VINHO foi bárbara desde o início. O campo-grandense está se surpreendendo com o crescimento do vinho nacional e está aberto à experimentação. O melhor feedback os clientes estão me dando na compra e recompra dos rótulos”, diz Lilian. A proposta é fazer com que as pessoas conheçam mais sobre o patamar de excelência da produção brasileira de vinhos e valorizem o que é nosso, que é tão bom quanto os melhores rótulos da Europa, EUA, Chile e Uruguai.

A ARTE DE DEGUSTAR VINHOS

Lilian oferece degustações de espumantes e vinhos semanais aos clientes, e uma vez por mês, a degustação guiada no A arte de degustar vinhos, evento para no máximo 20 pessoas, com reservas prévias. Os convidados são recebidos por ela e o seu marido e sócio na VAI DI VINHO, Luis Cláudio Silva, também gerente industrial no setor frigorífico. A empresária apresenta cada rótulo, com suas características e peculiaridades na produção e os convidados experimentam diferentes
vinhos, sempre com harmonização gastronômica.

“É uma forma de aproveitar melhor o que a gastronomia e o vinho têm a oferecer para que a experiência se torne interessante em aromas, sabores e texturas”, explica Lilian. A degustação guiada agradou tanto que extrapolou as fronteiras da Capital e será realizada também em Chapadão do Sul, Dourados e Bonito.

“Nossa meta é sempre inovar e trazer experiências sensoriais diferentes com vinhos exclusivos de boutique. As pessoas estão gostando de descobrir a qualidade
e sutileza dos rótulos nacionais de uma maneira leve e descontraída”. Lilian R. Silva – empresária.

VINHOS DE ALTITUDE

Na 2ª edição, em março, os apreciadores puderam degustar e conhecer mais três vinhos de boutique, acompanhados de risotos, do Ponto do Risoto, assinados pelo chefe Beto Moraes. O grupo foi recebido com espumantes e antepastos. Na sequência, degustou um vinho tinto de altitude, um Sangiovesi, o Conti Tutto, jovem, corpo leve, da Vinícola Villagio Conti, especializada em castas italianas em São Joaquim, Serra Catarinense, acompanhado de risoto de alho poró.

Em seguida, Lilian apresentou um Cultura Malbec, de edição limitada, um vinho bisafrado de Monte Belo do Sul, Serra Gaúcha, harmonizado com risoto pantaneiro. O Cultura tem uma pegada californiana, onde o vinho é amadurecido com aduelas de carvalho francês e americano, que garante um aroma primário da própria uva,
com mais corpo e estrutura. Para acompanhar o risoto de filé gorgonzola, que exige um vinho de mais intensidade, a empresária sommeliere escolheu o Insolito, de edição limitada e garrafas numeradas. O vinho tem um blend incomum com quatro castas de uvas, é mais estruturado, com taninos marcantes e com potencial de guarda em adega de 10 a 15 anos. Os dois últimos vinhos da Vinícola Foppa e Ambrosi, Garibaldi RS.

 

Matéria exclusiva da 59ª Edição da Revista AL.SO

 

Clique para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Enquete

Facebook

Publicidade